Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

Guest

  

Ligação à terra

 

 

Elétrodo de terra

Corpo condutor ou conjunto de corpos condutores em contacto com o solo, garantindo uma ligação elétrica com este. Para a sua execução podem ser utilizados:

 tubos, varetas ou perfilados; 

 fitas, varões ou cabos nus;

 chapas;

 anéis (de fitas ou de cabos nus) colocados nas fundações dos edifícios.

Alguns aspetos técnicos a considerar

1. As soluções mais utilizadas são: os tubos, varetas ou perfilados. Estes deverão ser enterrados verticalmente a uma profundidade mínima de 80 cm.

2. Só deve haver um elétrodo de terra num edifício (terra única) para todas as instalações, independentemente da arquitetura (mesmo quando as frações não comunicam com zonas comuns nem existe instalação coletiva).

3. Sugere-se a consulta da ficha técnica n.º 10.

 

Condutor de terra

Condutor de proteção que permite ligar o elétrodo de terra ao terminal principal de terra.

Alguns aspetos técnicos a considerar

1. Se for de cobre nu deve possuir no mínimo uma secção de 25 mm2.

2. Para casos em que esteja isolado deve possuir no mínimo uma secção de 16 mm2.

3. Sugere-se a consulta a ficha técnica n.º 10.

 

Terminal principal de terra (TPT)

Terminal ou barra previstos para ligação do condutor de terra ao barramento de terra do quadro de entrada (QE) e a condutores de proteção de outras especialidades (ex: gás, telecomunicações, etc).

Permite a medição da resistência do elétrodo de terra.

Alguns aspetos técnicos a considerar

1. Em instalações mais complexas (ex.: em edifícios coletivos em que as frações não comunicam com zonas comuns, nem existe instalação coletiva) poderão haver mais do que um TPT, todos ligados ao mesmo elétrodo de terra.

 

Ligação equipotencial principal

Alguns aspetos técnicos a considerar

1. Esta ligação deve ser feita entre o terminal principal de terra e as partes metálicas da construção e as canalizações metálicas do edifício (ex.: de água, de gás, de aquecimento central, de ar condicionado, etc.).

2. A secção deve ser superior ou igual a metade da maior secção dos condutores de proteção existentes no edifício com um mínimo de 6 mm2. Quando a secção for superior a 25 mm2 poderá ser limitada a esse valor.

 

                             Fig.4 Esquema geral das ligações à terra de uma instalação

 

Medição da resistência de terra

A medição poderá ser feita através do método indicado na ficha técnica de bolso A4.

Alguns aspetos técnicos a considerar

1. O valor máximo de resistência de terra legalmente aceite em função da corrente diferencial residual (IΔn) do dispositivo diferencial residual (DR), admitindo que a tensão de contato pode atingir os 50V, deverá ser:

 

 

Tabela IΔn e valor da resistência de terra